Arquivo da tag: novela

Os exageros e as piadinhas sem graça de Amor à Vida

“‘Só posso ter colocado chicletes no cabelo de Jesus Cristo’ e ‘Fiz furinhos na Arca de Noé'”, são algumas frases “engraçadas” do vilão

Quem me conhece sabe o quanto eu aprecio uma programação de TV aberta e sabe o quanto eu gosto de comentar sobre essas coisas. Mas sempre existe aquela insatisfação em alguma cena, algum ator/atriz ou até mesmo na novela inteira.

Quando anunciaram que o autor Walcyr Carrasco iria para o horário nobre já venho a minha dúvida de como seria uma trama mais séria, com abordagens do cotidiano e uma pitada de humor. O que eu havia imaginado venho à tona, pois veio uma novela água com açúcar – me refiro a mocinha frágil, o mocinho tonto que só dá uma de herói quando o autor se lembra que ele terá que usar a força e um vilão engraçado (porém forçado) que ganhou o sorriso do público.

Uma novela que fica em torno de um hospital não é o problema, mas, sim, uma ficção bem semelhante a série americana Grey’s Anatomy . Série de sucesso e que mostra o cotidiano dos profissionais que ali trabalham, mostrando os problemas profissionais até a vida pessoal como o envolvimento amoroso de colegas de trabalho, caso bem semelhante em Amor à Vida.

Quando me referi ao personagem Félix, por se tratar de um vilão engraçado e ao mesmo tempo forçado, quis destacar as frases que se tornaram clichês demais e que abusaram das frases bíblicas para se tornar as famosas piadinhas do personagem. Não estou criticando o cunho religioso que as piadas levam, mas ressaltei porque essa história não agradou alguns evangélicos – de fato eles sempre protestam.

O vilão Félix de Amor à Vida (Foto: Pedro Curi/ TV Globo)

O texto de Walcyr, que não autoriza seus atores a improvisar o script, senão será levado para o tronco, é forçado. Você não vê uma pessoa em frente a um juiz falar que seu pai (no caso o Cezar) usará fraldas no futuro devido a velhice. Quem em sã consciência falaria isso em meio a uma decisão judicial? Simplesmente sem noção.

Amor demais

Quem acompanha a história de Paulinha e Ninho (que já mudou de personalidade umas 37 vezes) pode perceber que o amor entre os dois está passando dos limites, nem tanto pela menina, mas pelo o Ninho que tem um objetivo de conquistar “as duas mulheres de sua vida”. O ex Bob Marley é tão amoroso com a pequena que passa para um público um ar de pedofilia (sei que minha expressão foi um tanto forte). Essa é a minha opinião, não só minha, mas a de vários comentários que eu vi em alguns textos de críticos de TV.

Um homem que tenta manter as escondidas um encontro com uma criança e ainda dá presentinhos para alegra-la é, sim, um tanto estranho para quem não conhece a história da novela e começou a acompanhar, por exemplo, no capítulo 83. Bom, essa foi uma pequena insatisfação de Grey’s. Quer dizer, Amor à Vida. Prefiro o Carrasco escrevendo as tramas das 6, com histórias mais leves igual “Cravo e a Rosa”, ou um dramalhão mexicano, que até rendeu bons índices de audiência, como “Alma Gêmea”.

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Televisão

Ator global e cristalinense estará em Cristalina nesta sexta, dia 13

O evento será nesta sexta, 13 de agosto.

Nesta sexta, 13, o prefeito Luiz Attié, acompanhado do ator cristalinense Stepan Necessian inauguram a praça José Adamian.

A mais bela praça da cidade, tem como cartão-postal o Palácio Etienne Lepesqueur. José Adamian, que dá nome à praça, foi prefeito de Cristalina e tio de Stepan Necessian.

A inauguração acontece nesta sexta às 20:00.

Conheça mais sobre Stepan Necessian:

Stepan Nercessian nasceu em Cristalina (Goiás) em 1953. Filho de pais armênio e cearense interessou-se cedo pela política, aproximando-se do antigo Partido Comunista Brasileiro (PCB), com apenas 11 anos de idade. Devido à sua destacada atuação no movimento estudantil, foi impedido de cursar parte do colegial, em escolas públicas, por pressão da ditadura militar. Ainda em Goiás, trabalhou como revisor no jornal “Cinco de Março”.

Atualmente integra a diretoria do Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversão do Rio de Janeiro – SATED/RJ, onde foi presidente eleito por duas gestões seguidas. Para disputar as eleições municipais, licenciou-se do cargo, mas continuou à frente do Retiro dos Artistas, onde desenvolve um trabalho de recuperação de suas instalações, melhorando a vida daqueles que lá residem. A experiência adquirida no Retiro dos Artistas o habilita a examinar com propriedade e carinho a questão dos idosos em nossa cidade. Ligado ao mundo do samba, Stepan foi Presidente de Honra da Escola de Samba Caprichosos de Pilares. E é botafoguense doente.

Stepan participou dos seguintes filmes: Marcelo Zona Sul e Pra Quem Fica… Tchau! (1970), André, a Cara e a Coragem (1971), Revólveres Não Cospem Flores (1972), Amante Muito Louca e Como é Boa Nossa Empregada (1973), Os Primeiros Momentos, A Rainha Diaba e O Padre que Queria Pecar (1974), Deliciosas Traições de Amor e Quem Tem Medo de Lobisomem? (1975), Marília e Marina, Os Maníacos Eróticos e Xica da Silva (1976), O Velho Gregório, Os Trambiqueiros, Nas Quebradas da Vida, Gargalhada Final, Um Brasileiro Chamado Rosaflor, Lúcio Flávio, o Passageiro da Agonia, Barra Pesada e Na Ponta da Faca (1977), Nos Embalos de Ipanema (1978), Parceiros da Aventura (1979), Beijo na Boca (1982), Césio 137, o Pesadelo de Goiânia (1989), Doces Poderes (1996), Orfeu (1998), Minha Vida em Suas Mãos (2000), Memórias Póstumas (2001), Deus é Brasileiro (2003), Terra de Deus “A enxada” (2005), Mulheres do Brasil (2006), Pode Crer (2007). O último filme no qual Stepan atuou foi Chega de Saudade (2008).

Atuou nas seguintes trabalhos na TV interpretando os respectivos personagens: “Zorra Total”, como Marcio Flávio, “Faça Sua História”, como Oswaldir, “Zorra Total”, como Carlos Alberto, “Cobras e Lagartos”, como Bandeira, “A Lua me Disse”, como professor, “Um Só Coração”, “Kubanacan”, como Gofredo Pontes, “A Casa das Sete Mulheres”, como Francisco Sabino da Rocha,“Desejos de mulher”, como Apolinário; “Brava gente”, como Talarico; “Uga uga”, como Guerra; “Força de um desejo”, como Ernani; “Zazá”, como Samuel; “Pátria minha”, como Devair Aguiar; “Mulheres de areia”, como delegado Rodrigo; “Anos rebelde”, como Caramuru; “Tereza Batista”, como Almério; “Felicidade”, como Hilário; “O sorriso do lagarto”, como Chico; “Mico preto”, como Palhares; “O sexo dos anjos”, como Antônio; “Vale tudo”, como Jarbas; “O outro”, como Barbosão; “Selva de pedra”, como Zé; “O homem proibido”, como Deolindo; “O amor é nosso”, como Chico; “Plumas & paetês”, como Osmar; “Feijão maravilha”, como Anselmo; “O astro”, como Alan; “Duas vidas”, como Maurício; e “Bandeira 2”, como Márcio.

Confira alguns videos disponíveis na internet dos trabalhos do ator:

Deixe um comentário

Arquivado em Arte, caritel, educação, Festa, Luiz Attié

Leila Lopes é encontrada morta em apartamento no Morumbi

Atriz se recuperava de cirurgia para retirada de útero.
Ela foi a ‘professorinha Lu’ em ‘Renascer’ e também fez filmes pornôs.

A atriz Leila Lopes, de 50 anos, foi encontrada morta no início da madrugada desta quinta-feira (3) em seu apartamento na região do Morumbi, Zona Oeste de São Paulo, informou a Polícia Militar (PM).

PMs do 16º Batalhão encontraram a atriz já morta, caída ao lado da cama. Uma equipe dos bombeiros também foi acionada até a residência e informou que a atriz sofreu parada cardiorrespiratória seguida de morte.

O delegado Celso Lahoz Garcia, do 89º Distrito Policial (Portal do Morumbi), diz que suicídio é a principal hipótese para morte. Segundo ele, a atriz sofria de depressão, teria deixado uma carta e ingerido veneno para matar ratos. Nenhuma marca de violência física teria sido encontrada no corpo. 

Em outubro, Leila Lopes ficou duas semanas internada por causa de fortes dores abdominais. Os exames revelaram que ela sofria de endometriose, uma alteração do endométrio, dentro do útero. No mês passado os médicos retiraram o útero da atriz, que se recuperava da cirurgia.

Entre seus principais trabalhos na TV estão as novelas “Pantanal”, em 1990, quando interpretou Lúcia; “O Rei do Gado”, em 1996, como Suzane; e “Renascer”, em 1993, no papel da professorinha Lu.

A atriz, que nasceu em 1969 na cidade de São Leopoldo (RS), também fez um ensaio fotográfico para a edição de março de 1997 da Revista “Playboy”. A partir de 2008 passou a fazer filmes pornográficos.

Trabalhos na TV

1990 – Pantanal – Lúcia 
1991 – O Guarani – Severina 
1992 – Despedida de Solteiro – Carol 
1993 – Renascer – professora Lu 
1994 – Tropicaliente – Olívia 
1996 – O Rei do Gado – Suzane 
1997 – Malhação – Rosa 
2000 – Marcas da Paixão – Creuza

2 Comentários

Arquivado em caritel